fbpx

Seis estações do BRT Rio tiveram equipamentos furtados no feriadão

O sistema BRT Rio voltou a ser alvo de criminosos no último fim de semana e no feriado que celebrou o Dia da Independência. Ao todo, seis estações tiveram equipamentos furtados: Capitão Menezes, Aracy Cabral, Vicente de Carvalho e Taquara, situadas no corredor Transcarioca; Riocentro, no corredor Transolímpica; e Gláucio Gil, no corredor Transoeste. Um homem foi detido por agentes do Proeis enquanto furtava cabos na estação Olof Palme, no corredor Transolímpica, no domingo.

No sábado, as estações Capitão Menezes, Aracy Cabral e Riocentro tiveram circuito de iluminação, tomadas e rack furtados. Já no domingo, os criminosos roubaram o circuito de iluminação da estação Vicente de Carvalho e atacaram a Capitão Menezes novamente. Desta vez, foram levados a condensadora do ar condicionado, relógio de ponto, iluminação, tomadas e porta de rolagem. A estação Taquara também foi alvo de furto de circuito de iluminação, tomadas e bilheteria. Ontem, no feriado do dia 7 de setembro, a estação Gláucio Gil teve a condensadora do ar condicionado roubado. Ainda no fim de semana, a equipe de Infraestrutura do BRT Rio refez os circuitos e gastou um total de 400 metros de fios de 2,5mm nos trabalhos.

Na manhã do último domingo, um homem foi detido enquanto furtava cabos na estação Olof Palme, no corredor Transolímpica. Esta é a quarta vez que o acusado é flagrado cometendo crimes em estações do BRT Rio.  O caso foi encaminhado para a 16ª DP (Barra da Tijuca). Após monitoramento no Centro de Comando Operacional, equipes do BRT Rio e do Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) foram ao local e encontraram o homem furtando cabos no teto. O funcionamento da estação não foi comprometido.

Desde abril, cerca de 100 estações foram alvo de vândalos e bandidos. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 35 estações fechadas por causa de vandalismo e/ou furtos de equipamentos. As que foram fechadas em razão da pandemia também foram depredadas e não apresentam condições para a reabertura.

De março até agora, 58 pessoas foram detidas por agentes do Proeis cometendo crimes no sistema. O BRT Rio ressalta que as ações dos operadores de estação são em caráter de orientação aos passageiros para as operações do sistema. A segurança em terminais e estações, que são um patrimônio do município, é atribuição do poder público. É o que estabelece a lei complementar municipal número 100, de 15 de outubro de 2009, que cria a Guarda Municipal e prevê, entre outros itens, “proteger bens, serviços e instalações municipais do Rio de Janeiro”.

“Precisamos muito do apoio do poder público para coibir todo tipo de crime e delito que pode ocorrer nas estações do BRT e também nos articulados. Somente com uma ação integrada da Guarda Municipal com a Polícia Militar, com a qual já temos convênio através do Proeis, conseguiremos colocar fim ao que estamos presenciando hoje e, assim, garantir a segurança das estações e dos passageiros que as utilizam”, afirma o presidente executivo do BRT Rio, Luiz Martins.

Reforma e preservação das estações

Apesar da atual situação, o BRT Rio iniciou um cronograma de reforma e melhorias de estações. Ao todo, 17 estações já passaram por intervenções nos últimos meses. As obras incluem o fechamento do acesso ao forro e à cobertura, pintura, nova rede elétrica, reforço na iluminação e sinalização. A nova estrutura que vem sendo utilizada na revitalização impede que ambulantes e moradores de rua guardem objetos na parte superior da estação, além de proteger o cabeamento elétrico. A iluminação também é reforçada com mais refletores.

Para manter o bom estado do sistema como um todo e, principalmente, das estações que passaram por melhorias, o BRT Rio lançou uma campanha de conscientização para o público. Ela alerta para a importância de preservar as estações, terminais e articulados que são usados por milhares de passageiros diariamente. Por meio da divulgação de materiais informativos nas redes sociais, TVs embarcadas e cartazes, o BRT Rio quer chamar a atenção para dois problemas que prejudicam diretamente a operação e os passageiros: o vandalismo e os furtos de equipamentos.

Compartilhe em
suas Redes Sociais: