fbpx

‘Carnaval com Respeito’: BRT leva ações de sensibilização contra importunação sexual para Alvorada e Madureira

O BRT Rio, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), realizou nesta segunda-feira uma campanha contra a importunação sexual nos terminais Alvorada (Barra da Tijuca) e Paulo da Portela (Madureira), com distribuição de material informativo sobre como proceder e identificar esse crime que, infelizmente, aumenta durante o Carnaval.

A programação começou pela manhã no Terminal Alvorada. As passageiras receberam leques e folhetos sobre a atuação da Casa da Mulher Carioca Tia Doca, que presta atendimento social, dá apoio jurídico e oferece apoio psicológico e cursos de qualificação para o público feminino. A instituição, localizada em Madureira, é gerida pela Subsecretaria de Políticas para Mulher. Na parte da tarde, a ação foi realizada no Terminal Paulo da Portela e chamou a atenção da manicure Cláudia Pereira. Ela, que já foi vítima de assédio no transporte público aos 14 anos de idade, destacou a importância de ações como essa.

“Eu acho este tipo de campanha muito válida porque informação nunca é demais. Aos 14 anos, fui assediada dentro de um ônibus, indo de Copacabana para a Central do Brasil. É algo muito constrangedor. Hoje, sou mãe de uma mulher de 25 anos e graças a Deus ela nunca passou por isso”, contou Cláudia.

No carnaval, os casos de importunação sexual ocorrem com mais frequência e é preciso que as mulheres denunciem qualquer ato violento. Importunação sexual se tornou crime em setembro de 2018, quando foi criada a Lei Federal nº 13.718/18 que criminaliza situações como contato físico sem consentimento em locais como transporte público e festas. Diferente do assédio sexual, que é caracterizado por haver uma relação de subordinação entre vítima e autor do crime, a importunação sexual pode ser cometida por qualquer um.

A programação do “Carnaval com Respeito” do BRT Rio começou na manhã da última sexta-feira, dia 14, quando os passageiros do Terminal Alvorada se contagiaram com o ritmo da Banda da Comlurb que fez o “Barulhaço” dos Direitos Humanos. O público recebeu máscaras para usar na folia e material informativo sobre violação dos direitos das crianças e adolescentes, como proceder nestes casos e conhecer os canais de denúncias, além de orientações sobre como agir em casos de importunação sexual.

Compartilhe em
suas Redes Sociais: