fbpx

BRT Rio aposta em recuperação do sistema com novo prefeito

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en portugués de Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A posse do prefeito Eduardo Paes e da secretária de transportes Maína Celidônio traz a expectativa de melhores dias para o sistema neste novo ano.  As primeiras impressões do BRT Rio sobre a nova Secretaria Municipal de Transportes são positivas e animadoras. O tom das reuniões realizadas até aqui tem sido o de buscar soluções conjuntas para os principais problemas do sistema e melhorar a qualidade dos serviços aos passageiros.

“Desde a primeira reunião de trabalho que tivemos com a secretária Maína Celidônio, ela e sua equipe demonstraram muita sensibilidade em relação ao BRT, a partir do enfrentamento de problemas crônicos que atingem o sistema, tais como o alto índice de calotes, população de rua dentro de estações, furtos e roubos aos passageiros e má qualidade da pavimentação, principalmente no corredor Transoeste. Somente com o trabalho integrado e contínuo dos agentes públicos, que inclui Secretaria Municipal de Transportes, Guarda Municipal, Polícia Militar, Secretaria Municipal de Infraestrutura, Secretaria Municipal de Conservação e Secretaria Municipal de Assistência Social, conseguiremos vencer esses desafios”, afirma o presidente executivo do BRT Rio, Luiz Martins.

A primeira ação conjunta com a nova SMTR já rendeu resultados no primeiro dia útil do ano, com a reabertura da estação Pinto Teles, no corredor Transcarioca, e do módulo expresso da estação Bosque Marapendi, no Transoeste. Em que pese a grave situação financeira em que se encontra, o BRT Rio está se desdobrando para reabrir outras cinco estações nas próximas semanas: Tanque (Expresso), André Rocha, General Olímpio, Nova Barra e Praça do Bandolim. A entrega dessas estações faz parte do esforço do BRT Rio para devolver qualidade aos serviços prestados aos passageiros. Ao longo de 2020, o BRT Rio reformou e recuperou 28 estações. “Este esforço a mais do BRT Rio é uma resposta positiva à vontade e à determinação demonstradas pela secretária Maína Celidônio e sua equipe para ajudar a resolver os problemas do sistema”, frisa o presidente do BRT Rio.

Apesar da esperança por dias melhores, o Ano Novo traz a reboque os graves problemas financeiros de 2020.  Entre março e dezembro o BRT Rio acumulou perdas de receita de R$ 180 milhões por conta da pandemia, sem qualquer ajuda financeira dos governos. Além disso, há 24 meses o sistema não tem reajuste de tarifa, ferindo o que está previsto no contrato. Há também a evasão por calotes e a política de gratuidades sem fontes de custeio definidas. “Essas questões precisam ser enfrentadas para que o BRT Rio mantenha sua operação e, a médio prazo, recupere a capacidade de investimentos capaz de melhorar a experiência dos passageiros. Contamos com o entendimento e o apoio do novo governo para fazer de 2021 o ano da virada do BRT”, afirma Luiz Martins.

Comparte en
tus redes sociales: