fbpx

Estação Cesarão II será reaberta

Depois de dois meses de obras, a estação Cesarão II, do corredor Transoeste, será reaberta ao público na segunda-feira. A estrutura de embarque e desembarque de passageiros estava fechada desde o dia 07 de janeiro, quando foi alvo de um incêndio criminoso durante um protesto. Por motivos de segurança, o local só pode receber operários do Consórcio BRT em maio. Refazer a estação custou ao Consórcio aproximadamente R$ 350 mil. Mas se somar quanto já foi investido para remontar a estação, desde que foi inaugurada, este valor sobe para quase meio milhão de reais. Isso porque a Cesarão II já  foi depredada, teve equipamentos furtados e quebrados  pelo menos quatro vezes. De acordo com o artigo 65, da Lei 9605/1998 (Lei de Crimes Ambientais), pichar edificação ou monumento urbano pode render, além de multa, de três meses a um ano de prisão. No caso de infrator menor de idade, a punição é o cumprimento de medida socioeducativa.

R$ 150 mil por mês

Em média, o Consórcio BRT gasta, mensalmente, R$ 150 mil para fazer reparos provocados por vandalismo nas estações. Os problemas mais comuns são portas, lixeiras, banco de esperas e vidros quebrados; pichações; peças roubadas; máquinas de recargas vandalizadas; componentes elétricos e mecânicos danificados. Nem mesmo os telões são poupados pelos criminosos. As máquinas de refrigerantes também são alvo de depredação, e as placas de sinalização não raro são roubadas.A Cesarão I já foi parcialmente remontada quatro vezes. Em cada uma delas, o BRT investiu R$ 70 mil. A estação Vila Paciência foi reformada pela Prefeitura. Depois de ser reconstruída, os equipamentos foram furtados por mais de uma ocasião, inviabilizando sua abertura.

Confira o vídeo com etapa da reconstrução de Cesarão II

Share in
your Networks: