fbpx

Cinco estações do BRT foram vandalizadas nos últimos dias

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Estação Santa Efigênia foi alvo de bandidos por dois dias consecutivos e teve que ser fechada. Estação desativada no eixo da Cesário de Melo foi incendiada

Criminosos vandalizaram e furtaram cabos elétricos de quatro estações do BRT Rio nos últimos dias. O corredor Transolímpica foi o mais atingido com três estações prejudicadas com as ações dos bandidos: Padre João Cribbin, Colônia e Boiuna. Já a estação Santa Efigênia, do corredor Transcarioca, foi furtada duas vezes no fim de semana e teve que ser fechada. Desativada desde 2018, a estação Prefeito Alim Pedro, do corredor Transoeste, foi incendiada na última quinta-feira.

No último sábado, dia 3, bandidos furtaram cabos elétricos da estação Santa Efigênia. No dia seguinte, a equipe de Infraestrutura do BRT Rio fez todo o reparo elétrico e restabeleceu a energia na estação. Mas, infelizmente, a estação foi alvo de criminosos que roubaram os cabos novamente no domingo. Por isso, ela teve que ser fechada nesta segunda.

Na sexta-feira, dia 2, as estações Colônia, Boiuna e Padre João Cribbin foram vandalizadas e também tiveram seus cabos furtados. Monitores foram danificados, a fiação ficou toda exposta e as máquinas de autoatendimento ficaram inoperantes.

Localizada no corredor Transoeste, a estação Prefeito Alim Pedro foi incendiada na última quinta-feira, dia 1. A estação faz parte do eixo da Cesário de Melo e está desativada desde 2018 por causa de atos de vandalismo e episódios de violência na região.

Desde abril, cerca de 100 estações foram vandalizadas e/ou furtadas. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 33 estações fechadas por causa desses tipos de crimes. As que foram fechadas em razão da pandemia também acabaram sendo depredadas e não apresentam condições para a reabertura.

Apesar disso e mesmo com a grave crise financeira, o BRT Rio segue um cronograma de trabalho em suas estações. Já foram recuperadas ou reformadas 22. Em breve serão reabertas Vila Queiroz e Santa Luzia.

Lembramos que as estações são um patrimônio público e a fiscalização das mesmas cabe aos órgãos com poder de polícia, como a PM, com a qual o BRT Rio mantém convênio através do Proeis, e a Guarda Municipal.

Share in
your Networks: