fbpx

BRT oferece curso de inglês para colaboradores das estações de acesso ao Rock in Rio

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O Rock in Rio é um evento importante do calendário carioca e atrai uma grande quantidade de turistas. A estimativa é que o Rio receba 420 mil visitantes na edição deste ano, muitos deles estrangeiros. E, além do planejamento da operação, que é vital para o cotidiano da cidade neste período, o BRT trouxe uma novidade em 2019. O consórcio ofereceu um curso de inglês básico para atendimento de clientes aos seus colaboradores que irão trabalhar nas estações de acesso ao Rock in Rio. Durante cinco sábados, somando um total de 40 horas, o grupo indicado pelos seus gestores assistiu às aulas, realizadas em parceria com o SEST/SENAT.

O controlador de estação Ruan Passos da Silva tinha algumas noções da língua, mas agora descobriu certas especificidades no inglês que influenciam diretamente a comunicação com os estrangeiros. “O britânico fala com menos sotaque e os americanos usam mais gírias. As pronúncias são diferentes, o ‘th’ é um exemplo”.

Um aprendizado que vai para além do evento. Como o Rio de Janeiro recebe turistas o ano todo, é muito importante que os colaboradores de serviços de transportes tenham acesso a este tipo de qualificação. A aluna Rosivania Juvino trabalhou durante as Olimpíadas na estação do Galeão e hoje, depois de fazer o curso de inglês, sente uma grande diferença. “Agora, acho que estou mais preparada para dar informações para os gringos. Vamos poder passar uma informação ainda mais precisa”. Ela também contou que aprendeu a indicar qual é a melhor direção, a dizer as horas e cumprimentar, sem erro.

Já o bilheteiro José Lindolpho de Castro Medeiros Junior se animou tanto com as aulas que já até se arrisca no idioma com a filha que vive no exterior. “A minha filha mora nos Estados Unidos e agora mando até zap em inglês para ela. Em janeiro, vem uma amiga dela para o Rio e eu quero conseguir me comunicar sem precisar pedir ajuda para minha filha o tempo todo”, brincou.

Share in
your Networks: